Acidente com camião deixa elefantes à solta em autoestrada

Cinco elefantes ficaram à solta numa autoestrada que liga Albacete a Murcia, depois do camião em que seguiam ter virado. Um dos animais acabou por morrer, dois estão feridos

Foi em Albacete, Espanha, que o inesperado aconteceu. Um acidente com um camião na autoestrada que seguia em direção a Murcia deixou à solta vários elefantes na A-30.

O transporte pesado de mercadorias levava pelo menos cinco elefantes provenientes de um circo. Um dos animais morreu e dois estão feridos.

O estranho incidente aconteceu, segundo a direção geral de Trânsito, esta segunda-feira, às 16:24. A estrada foi cortada ao quilómetro 22, perto do município de Pozo Cañada. Várias fotos estão a circular no Twitter. Estas mostram pelo menos quatro elefantes a circular pela via, à solta. Uma imagem à qual não estamos acostumados.

Nesta rede social, a cidade de Pozo Cañada publicou uma fotografia em que se vê o camião virado e atravessado na estrada.

Estão já a ser removidos os animais da via pública e os donos estão a ser procurados.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".