Abuso sexual por sacerdotes nos EUA é "criminoso e moralmente repreensível"

O Vaticano considerou esta sexta-feira "criminoso e moralmente repreensível" os abusos sexuais descritos numa investigação que documenta 300 supostos casos de "sacerdotes predadores" sexuais em seis das suas dioceses norte-americanas, garantindo que o papa Francisco as apoia.

Num comunicado divulgado ao princípio desta noite, o porta-voz do Vaticano escreve que os atos descritos são "traições de confiança que tiraram a dignidade e a fé aos sobreviventes", e acrescentou que as vítimas têm de saber que o papa Francisco as apoia.

O Supremo Tribunal da do Estado norte-americano da Pensilvânia publicou na terça-feira um relatório após uma denúncia sobre abusos de menores.

No documento, de 1.356 páginas, refere-se que a maior parte das vítimas foram rapazes, ainda que também existam raparigas, e entre eles adolescentes e muitos pré-adolescentes.

"Alguns foram seduzidos com álcool e pornografia. A alguns fizeram masturbar os seus agressores ou foram manipulados por eles", lê-se no relatório, entre outros pormenores mais sórdidos.

Para a elaboração deste relatório foram ouvidos dezenas de testemunhos e consultadas meio milhão de páginas de documentos internos das dioceses.

Nesse sentido, não é de descartar que o número real de vítimas ascenda a milhares, uma vez que é possível que os registos de alguns menores se tenham perdido ou que a vítima tenha optado por permanecer em silêncio.

Ler mais