Abalo de 7,1 graus sacode sul do Alasca

Não houve registo imediato de danos ou prejuízos nem há risco de tsunami

Um sismo de magnitude 7,1 na escala de Richter sacudiu hoje pelas 10:30 o sul do estado do Alasca, EUA, disseram sismólogos norte-americanos.

O Centro Geológico dos Estados Unidos, localizou o epicentro a cerca de 83 quilómetros (51 milhas) a este de Old Iliamna, cerca das 10:30 TMG (01:30 locais).

Os peritos estimam que tenha ocorrido a uma profundidade de 127 quilómetros (79 milhas).

Não houve registo imediato de danos ou prejuízos.

O centro de alerta de tsunamis com base no Havai afirmou não haver risco de uma onda gigante porque "o tremor de terra se verificou muito no interior da terra".

Os habitantes da principal cidade do Alasca, Anchorage, situada a 261 quilómetros a sudoeste do epicentro do terramoto, sentiram o abalo e registaram apagões elétricos em alguns pontos da zona, segundo os meios de informação locais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.