90% querem mudar nome da Macedónia mas poucos participaram

Mais de 90% dos votantes querem que a Macedónia se passe a chamar "República da Macedónia do Norte", mas apenas votaram um cada três cidadãos. A decisão passa, agora, para o parlamento.

Com 80% dos votos apuradas, o "sim" à mudança de nome da Macedónia obteve 91,2% dos votos. No entanto, apenas um em cada três cidadãos participaram no referendo, noticia a agência francesa AFP.

O referendo é consultivo e deve ser validado por uma maioria de dois terços dos deputados, o que é expectável pelo primeiro-ministro Zoran Zaev, apesar da elevada abstenção.

91,2% dos votos diz "sim" à mudança

Mais de 90%" dos eleitores aprovaram o acordo com a Grécia para mudar o nome da Macedónia e o parlamento "deve confirmar a vontade da maioria", disse o primeiro-ministro, à AFP. Para que tal aconteça é necessário que o governo social-democrata e seus aliados da minoria albanesa se ponham de acordo.

Entretanto, a União Europeia pediu que o resultado fosse observado. "Espero que todos os líderes políticos respeitem esta decisão e a apliquem com a máxima responsabilidade, e unidade além dos partidos, em interesse do país", disse Johannes Hahn, comissário europeu de Negociações de Ampliação.

Fim do conflito com a Grécia?

"Caso seja concretizada, a mudança de nome acabaria com um antigo conflito com a Grécia e aproximaria o Estado da União Europeia (UE), quando Atenas suspender seu veto", sublinha a AFP..

Os ministros dos Negócios Estrangeiros macedónio e grego, Nikola Dimitrov e Nikos Kotzias, assinaram um acordo, em junho, para que se utilize o nome Macedónia do Norte, encerrando um conflito aberto quando o país balcânico se tornou independente da Jugoslávia, em 1991. Os gregos acreditam que o país tenta usurpar o seu património,

O país, um dos mais pobres da Europa, quer entrar para a UE, que muitos consideram uma promessa de estabilidade e prosperidade. Mas tem esbarrado no veto da Grécia, que afirma que o nome Macedónia pode apenas designar uma de suas províncias setentrionais, ao redor de Tessalonica.

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.