40 mil balas de canhão em fortaleza portuguesa na Índia

Arqueólogos indianos descobriram depósito de munições gigante no forte de Santo Ângelo, em Kannur, a antiga Cananor

Quase 40 mil balas de canhão foram descobertas por arqueólogos indianos na antiga fortaleza portuguesa de Cananor, segundo o Times Of India. Encontradas no Forte de Santo Ângelo, mandado construir em 1505 por D. Francisco de Almeida, o primeiro vice-rei da Índia, as balas representam um dos maiores achados de munições numas escavações arqueológicas a nível mundial, segundo o chefe da equipa de cientistas, T. Sreelakshmi.

"Trata-se realmente de uma imensa recolha de balas de canhão e a nossa tarefa agora é preservá-las depois de separar e tratar quimicamente as balas", declarou o arqueólogo responsável. Segue-se também um trabalho de consulta de fontes documentais para se tentar perceber porque foram enterradas as 35950 balas em poços de modo a não poderem ser reutilizadas.

Português durante século e meio, o Forte de Santo Ângelo foi depois conquistado pelos holandeses e mais tarde pelos ingleses. Não é ainda evidente a época a que pertencem os milhares de balas de canhão encontradas na atual Kannur, no estado de Kerala, sudoeste da Índia.

Os portugueses chegaram à Índia por mar em 1498, com Vasco da Gama. A presença portuguesa persistiu até 1961, quando a União Indiana invadiu Goa. O legado português mantém-se através das fortalezas deixadas na costa do Malabar e das muitas igrejas, assim como nos nomes de família de milhões de indianos chamados Fernandes, Dias ou Mascarenhas.

Ler mais

Exclusivos