Instalado misturador de voz no gabinete de Temer para frustrar gravações

Aparelho foi instalado também nos gabinetes dos ministros

Foi instalado um aparelho que codifica as vozes no gabinete de Michel Temer no Palácio do Planalto, em Brasília, o local oficial de trabalho do presidente do Brasil. Este aparelho, conhecido como "misturador de voz", torna impossível perceber o que foi dito numa eventual gravação.

Segundo o portal de notícias G1, o dispositivo emite uma frequência sonora que altera as vozes gravadas e quem tentar ouvir a gravação mais tarde escuta apenas um ruído agudo.

O aparelho foi também instalado nos gabinetes dos ministros brasileiros.

O G1 avança que foi o facto de Temer ter sido gravado sem saber pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, que motivou a instalação deste aparelho. Na gravação, divulgada em maio, Temer recomenda que Batista continue a pagar subornos ao ex-deputado Eduardo Cunha, que foi acusado de vários crimes de corrupção, para o manter em silêncio.

Temer argumentou que a gravação "foi manipulada e adulterada com objetivos claramente subterrâneos" e foi "incluída no inquérito [judicial] sem a devida e adequada investigação".

O Palácio do Planalto tem medidas próprias para impedir que os políticos sejam gravados sem consentimento. Por exemplo, ninguém pode entrar no gabinete do presidente com o telemóvel. As medidas de segurança foram agora reforçadas.

Parte das acusações dos últimos casos de justiça mais polémicos do Brasil são baseadas em escutas e conversas gravadas secretamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG