Insolvência de companhia criada por Niki Lauda deixa 40 mil pessoas sem voo

A Niki tem cerca de 20 aviões que operam tendo em conta estâncias turísticas do sul da Europa e do Norte de África

Cerca de cinco mil pessoas que querem viajar para a Áustria estão retidas noutros países devido à entrada em insolvência da companhia aérea Niki, fundada pelo histórico piloto de F1 Niki Lauda, também ele austríaco. A Niki, no entanto, foi vendida em 2011 à alemã Air Berlin, que também pediu insolvência recentemente.

O número é avançado pelo austríaco Der Standard. As autoridades da Áustria estão agora a tentar resolver a situação dos milhares de passageiros e transferi-los para outros voos. Grande parte das pessoas retidas estão em Maiorca, Espanha.

De acordo com a BBC, a Niki tem cerca de 20 aviões que servem principalmente para deslocações para estâncias turísticas no sul da Europa e no norte de África.

O Der Standard refere ainda que cerca de 40 mil pessoas marcaram voos para as próximas duas semanas. A companhia aérea planeava realizar pelo menos 145 voos durante o período das férias de inverno, na Áustria, Suíça e Alemanha.

A Air Berlin, que detinha a Niki, ficou insolvente em agosto, depois da sua maior acionista, a Etihad Airways, tirou o apoio financeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG