Vulcão "filho" do mítico Krakatoa provoca nova tragédia na Indonésia

O tsunami de sábado na Indonésia foi aparentemente provocado por um vulcão que emergiu das águas há 90 anos, 'filho' do mítico Krakatoa, conhecido desde 1883, quando uma erupção matou mais de 36 mil pessoas.

O vulcão na provável origem do tsunami de sábado, que fez mais de 220 mortos, é o Anak Krakatoa, nome que significa "filho" ou "criança" de Krakatoa .

O Anak Krakatoa fica no Estreito de Sunda, que liga o Oceano Índico ao Mar de Java. Com 305 metros de altura, emergiu numa erupção em 1928 na cratera do Krakatoa , segundo os especialistas.

O Krakatoa é conhecido desde 1883, quando uma erupção destruiu a ilha onde se erguia e criou a atual ocupada pelo Anak Krakatau, não sem que antes deixasse um rasto de devastação bem ilustrado nos mais de 36 mil mortos então registados.

O Anak Krakatoa está desde sempre num "estado semi-perpétuo de atividade" e cresce com erupções que ocorrem a cada dois ou três anos, segundo explicou à agência de notícias AFP o vulcanólogo Ray Cas, da Universidade Monash, na Austrália.

Está localizado a cerca de 200 quilómetros a sudoeste da capital da Indonésia, Jacarta, onde tem sido registada atividade desde junho. Em julho, as autoridades ampliaram a proibição de acesso para uma área de dois quilómetros à volta da cratera.

O episódio de sábado parece ter sido uma "erupção explosiva relativamente pequena" que pode ter desencadeado ou coincidido com um outro episódio submarino, como um deslizamento de terra ou um sismo, o que provocou o tsunami, disse o mesmo vulcanólogo à AFP.

Quando o Krakatoa entrou em erupção em 27 de outubro de 1883, cuspiu cinzas ao longo de 20 quilómetros, numa série de explosões poderosas que foram ouvidas na Austrália e até 4.500 quilómetros de distância, perto das Maurícias, segundo os relatos da época citados hoje pela AFP.

Devido à grande quantidade de cinzas projetada no ar, a região ficou mergulhada na escuridão por dois dias. Durante o ano que se seguiu, e por causa das poeiras, o pôr do sol e o nascer do sol de todo o mundo foram afetados e considerados espetaculares, escreve ainda a agência de notícias AFP.

O tsunami provocado pela erupção de 1883 matou mais de 36 mil pessoas e é considerado uma das piores catástrofes naturais de que há registo na história.

A Indonésia é o quarto país em número de habitantes e também um dos mais castigados por desastres naturais.

A localização geográfica da Indonésia, no Anel de Fogo do Pacífico, e o número de vulcões ativos no país, mais de cem, tornam a nação propensa a grande atividade sísmica.

O pior tsunami na Indonésia aconteceu em 26 de dezembro de 2004 no norte de Samatra e causou cerca de 230 mil mortes numa dezena de países banhados pelo Oceano Índico, dos quais 168 mil em território indonésio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG