Imprensa alemã lança petição contra espionagem a jornalistas estrangeiros

Os planos do governo permitem ao serviço federal de informação acompanhar jornalistas estrangeiros sem restrições

A Associação de Imprensa Alemã, apoiada por organizações não-governamentais internacionais como a Repórteres Sem Fronteiras e a Amnistia Internacional, lançou hoje uma recolha de assinaturas contra uma lei que permitirá aos serviços secretos alemães espiarem jornalistas estrangeiros.

A iniciativa pretende contestar os planos da coligação governamental liderada pela chanceler alemã Angela Merkel -- que integra conservadores e sociais-democratas -- de permitir ao serviço federal de informação (BND) acompanhar, sem restrições, a atividade dos profissionais de órgãos de comunicação social estrangeiros.

O objetivo da Associação de Imprensa Alemã é apresentar no próximo mês de setembro uma petição na câmara baixa do Parlamento alemão (Bundestag) contra a reforma da lei que alarga as possibilidades de atuação dos serviços secretos alemães.

Pelas redes sociais, a organização Repórteres Sem Fronteiras pediu às pessoas que apoiassem a causa e assinassem a petição online.

O novo regulamento dará aos serviços secretos alemães o poder de "observar sem restrições os jornalistas estrangeiros fora do âmbito da União Europeia", referiu a associação alemã na petição.

Segundo o presidente da Associação de Imprensa Alemã, Frank Überall, esta nova lei é um "atropelo" dos princípios de liberdade de imprensa e de expressão e limita o exercício do trabalho jornalístico destes profissionais.

Em julho último, a Repórteres Sem Fronteiras contestou o projeto de lei e exigiu uma alteração imediata do diploma, que está a correr os habituais trâmites parlamentares.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG