"Ibiza dos Alpes" quer mudar a imagem após ser origem de mais de 800 contágios

A estância de esqui de Ischgl esteve no centro do maior foco de infeção na Áustria e "exportou" o coronavírus para vários países do norte da Europa. Quer acabar com o "turismo das festas" e apostar novamente no esqui de qualidade.

A "Ibiza dos Alpes", como a estância de esqui austríaca de Ischgl é conhecida devido à sua animada vida noturna, quer reinventar-se depois de ter ficado marcada como o ponto de partida de centenas de casos de infeção por coronavírus. Só na Áustria terão sido 800 os casos, mas o covid-19 foi também o "souvenir" indesejado que muitos turistas do norte da Europa levaram de Ischgl.

"Vamos questionar os desenvolvimentos dos últimos anos e, nos casos em que for necessário, fazer correções", disse o presidente da câmara de Ischgl, Werner Kurz, numa declaração da autoridade de turismo da cidade no Tirol, com 1600 habitantes permanentes, e do vale de Paznaun, que esta quinta-feira saiu da quarentena que foi imposta a 13 de março.

"A imagem de Ischgl como um destino de festas e de bebedeiras domina atualmente as notícias. Mas isso é apenas uma pequena parte da nossa oferta apesar de marcar a perceção sobre o nosso destino", acrescentou, indicando que a aposta será na qualidades e em dar prioridade a quem quer fazer esqui e aceitar menos visitas de um dia em autocarros de pessoas que só querem festas.

Um popular bar da cidade, o Kitzloch, terá sido o foco de contágio, com um dos seus funcionários a apanhar coronavírus ainda em fevereiro. No início de março, vários turistas que tinham estado na zona começaram a testar positivo nos seus países, tendo a Islândia feito soar o alerta a 4 de março. O bar em causa só fechou no dia 10, três dias antes da quarentena ser instaurada, havendo relato de centenas de casos de contaminação na Alemanha, na Dinamarca ou na Noruega.

Quando o caso veio a público, a CNN falou com especialistas em infecciologia que investigaram o caso e que descobriram que nesse bar era habitual jogar-se ao "beer pong", no qual uma bola de pingue-pongue é lançada com a boca para canecas de cerveja e reutilizada por várias pessoas. Além disso, os funcionários usavam apitos para passar entre as multidões com shots, sendo comum os clientes soprarem também. O ambiente perfeito para espalhar o coronavírus.

"Temos estado a oferecer aos nossos visitantes um turismo de alta qualidade e desportos de inverno há anos. A maioria dos que nos visitam vêm a Ischgl porque somos um dos melhores e dos locais mais atrativos nos Alpes e por causa das nossas pistas de esqui, que são consideradas das mais belas do mundo", defendeu Kurz.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG