Homicida denunciado por medidor de frequência cardíaca desportivo

Vítima estava a usar o aparelho, que registou um pico na sua frequência cardíaca e posterior paragem da mesma, à hora a que o agressor assumidamente tinha estado na sua casa

Anthony Aiello, um homem de 90 anos, foi detido por suspeita do homicídio da enteada, depois de a polícia ter analisado um cardiofrequencímetro (medidor de frequência cardíaca) de desporto da marca Fitbit que esta usava quando morreu.

De acordo com o New York Times , Karen Navarra, de 57 anos, foi encontrada morta na sua casa em San José, Califórnia, cinco dias depois de ter recebido a visita do padrasto. Aiello tinha dito às autoridades ter feito uma breve visita à enteada, levando piza caseira e biscoitos italianos, recebendo desta duas rosas em sinal de gratidão. Mas o aparelho que esta utilizava na altura contou uma história diferente.

Após a análise das leituras registadas no aparelho, os investigadores descobriram que o ritmo cardíaco de Karen tinha disparado por volta das 15.20 de 8 de setembro, data e hora a que recebeu a visita de Aiello, e que depois abrandou rapidamente, até parar, por volta das 15.28, cinco minutos antes deste ter saído da casa.

Karen Navarra foi encontrada com lacerações fatais no pescoço e na cabeça. Anthony Aiello deverá ser presente a juiz nesta quinta-feira.

Nos últimos anos, relata o New York Times, vários casos de homicídio nos Estados Unidos e no Canadá foram resolvidos graças à consulta dos dados registados nestes e noutros aparelhos, como os localizadores de GPS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG