Homem de 61 anos é primeira morte num campo de migrantes na Grécia

Um homem afegão de 61 anos morreu este domingo num hospital em Atenas, tornando-se na primeira vítima mortal da covid-19 num campo de migrantes na Grécia, anunciaram as autoridades daquele país.

Pai de duas crianças, o homem residia no campo de Malakassa, perto de Atenas, onde foi hospitalizado, adiantou ainda o Ministério das Migrações e Asilo da Grécia.

O campo de Malakassa foi um dos que foram colocados em quarentena no início de setembro, juntamente com os de Schisto e Elaionas, devido ao aumento de casos de infeção pelo novo coronavírus.

Na ilha de Lesbos, após o incêndio no campo de Moria, mais de 240 pessoas apresentaram resultados positivos.

Mais de 24.000 pessoas residem em acampamentos no país grego, maioritariamente nas ilhas, onde a situação permanece crítica, apesar dos esforços do Governo local para transferir milhares de pessoas para a Grécia continental desde o início de 2020.

Apesar de menos atingida em comparação com outros países europeus, a Grécia (10,9 milhões de habitantes) registou nos últimos dias um aumento dos casos do novo coronavírus.

O país registou oficialmente, até ao presente, 17.444 casos. O número total de mortos desde o surgimento da pandemia no final de fevereiro ascende a 379 pessoas.

.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG