Homem barrica-se nos correios e faz 11 reféns

As autoridades desconhecem as suas motivações

Um homem barricou-se numa estação de correios na Ucrânia com 11 reféns, dos quais dois são crianças. As autoridades acreditam que o indivíduo está na posse de explosivos e ainda não têm informações acerca das suas motivações.

De acordo com as informações mais recentes, o homem está em contacto com as autoridades, é calmo e ainda não fez nenhuma exigência. Ainda não identificado, o indivíduo fechou-se numa estação dos correios junto ao metro da cidade de Kharkiv.

"Estamos a fazer tudo para manter a comunicação com ele e para garantir que as pessoas são libertadas", disse o chefe da polícia regional, Oleg Bekh, citado pela Reuters.

De acordo com este responsável, o homem está apreensivo com a recente troca de prisioneiros entre as autoridades ucranianas e os separatistas pró-russos, defendendo que mais deveriam ter sido libertados.

Esta troca de prisioneiros foi a maior em quatro anos de conflito: poderá ter envolvido 380 pessoas no leste rebelde da Ucrânia.

O conflito que opõe desde abril de 2014 as forças governamentais ucranianas aos separatistas pró-russos, apoiados segundo Kiev e os ocidentais por Moscovo, já causou mais de 10.000 mortos.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.