"Homem-aranha francês" detido quando escalava arranha-céus

Alain Robert ia a mais de meio da escalada dos 124 andares da Lotte World Tower, em Seul, quando as autoridades o travaram.

Alain Robert, conhecido como "homem-aranha francês", foi detido quando tentava escalar o quinto edifício mais alto do mundo, a Lotte World Tower, em Seul, na Coreia do Sul.

Robert, de 55 anos, fazia a escalada sem cordas quando foi obrigado a abandonar a proeza, sendo levado numa grua até ao telhado do edifício de 124 andares.

"Subi cerca de 75 andares e depois disso a segurança estava atrás de mim como um gato atrás de um rato", disse o "homem-aranha francês" à AFP. "Não desisti, decidi entregar-me", acrescentou.

"Sou capaz de ter que pagar uma multa elevada. Fiz isto por causa do que está a acontecer agora entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte", afirmou, dizendo que a tentativa de escalar o arranha-céus foi uma forma de celebrar os esforços de paz entre os dois países.

"É a minha forma de dizer obrigado a Kim Jong-un e Moon Jae-in", acrescentou, referindo-se aos líderes da Coreia do Norte e do Sul, respetivamente.

Segundo a agência de notícias sul-coreana, Yonhap, Robert foi acusado de "obstrução" por subir até o 75.º andar sem consentimento prévio dos proprietários do edifício. "Vamos decidir como lidar com ele depois de investigarmos os seus motivos para o crime e outros detalhes", disse a polícia à agência.

Robert é o detentor do recorde do Guinness de "maior número de edifícios escalados sem assistência", tendo já feito a proeza em mais de 100 estruturas, sem o auxílio de cordas ou outro equipamento de segurança.

Entre outros edifícios já escalou a Torre Eiffel, em Paris, a Ópera de Sydney, ou as Torres Petronas, em Kuala Lumpur. Não é a primeira vez que é detido, tendo sido preso várias vezes quando escalava outros edifícios em Londres, São Paulo, Chicago ou Barcelona.

"A escalada é uma paixão, é a minha filosofia de vida. Com 66% de incapacidade e vertigem que sinto a todo o momento, tornei-me um dos melhores escaladores sem equipamento", diz no seu site.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.