Guardia Civil resgata 55 migrantes no sul de Espanha

Embarcação oriunda de Marrocos transportava sete mulheres e sete crianças a bordo,

O serviço marítimo da Guardia Civil resgatou esta madrugada, perto de uma praia de Almuñécar, Granada, Espanha, 55 migrantes que viajavam numa embarcação procedente do norte de Marrocos.

De acordo com informações dadas à agência EFE pela Guardia Civil, os migrantes - entre os quais sete mulheres e sete menores - foram localizados por uma patrulha do serviço marítimo a mais de três quilómetros de uma praia de Almuñécar, quando já se encontravam numa situação complicada e com problemas de navegação devido à névoa densa existente na zona.

Após serem resgatados, os imigrantes foram transferidos para outra embarcação até ao porto de Motril, em Granada, no sul de Espanha, onde chegaram pouco antes das 04:00.

Assim que chegaram à doca portuária, os migrantes foram assistidos pela Cruz Vermelha, que lhes forneceu o primeiro atendimento médico e nutricional.

Todos estavam em boas condições, segundo fontes da organização humanitária.

Com este caso, eleva-se para quatro o número de embarcações com migrantes que, nas últimas 48 horas, chegaram ao porto de Motril, com um total de 218 pessoas, sendo 32 mulheres e pelo menos 11 crianças.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.