Grande mesquita de Paris apela ao "voto em massa" em Macron

Conselho Francês da Fé Muçulmana admitiu também vir a pronunciar-se sobre as eleições, "tendo em conta a situação excecional"

A grande mesquita de Paris apelou esta segunda-feira ao "voto massivo" no candidato Emmanuel Macron na segunda volta das eleições presidenciais, que são "decisivas para o destino da França e das suas minorias religiosas".

Num comunicado, citado pelo Le Figaro, "a grande mesquita e a sua federação nacional pedem que todos os muçulmanos de França votem massivamente" no candidato que, "com respeito aos valores republicanos e da aplicação estrita dos princípios de laicidade, encarna o caminho da esperança e da confiança nas forças espirituais e nos cidadãos da nação".

"Parece que todos os franceses devem permanecer unidos e juntos enfrentar a realidade da ameaça incorporada pelas ideias xenófobas perigosas para a nossa coesão nacional", continua o comunicado da grande mesquita.

O Conselho Francês da fé muçulmana, ao qual pertence a grande mesquita de Paris, admitiu também vir a pronunciar-se sobre as eleições, "tendo em conta a situação excecional", segundo o presidente Anouar Kbibech.

Este conselho pediu a marcação de um encontro com Macron antes da primeira volta das eleições e não tentou nenhuma aproximação à candidata de extrema-direita Marine Le Pen.

O movimento de muçulmanos de França disse estar contra as "ideias e declarações irresponsáveis de Le Pen" na véspera das primeira volta das eleições.

O islamismo é a segunda religião com mais fiéis na França, havendo entre quatro a cinco milhões de seguidores no país e cerca de 2500 mesquitas.

Segundo os dados do Ministério do Interior, quando falta apurar apenas 3% dos votos, Macron obteve 23,86% dos votos, enquanto Le Pen conquistou 21,43%.

Macron e Le Pen disputam a presidência na segunda volta, dentro de duas semanas, a 7 de maio.

Exclusivos