Filha da deputada Flordelis acusa a mãe de planear a morte do pai

Morte do pastor Anderson Carmo, casado com a parlamentar, que também é cantora gospel de sucesso, tem novos desenvolvimentos, segundo a imprensa do Rio de Janeiro.

A morte do pastor Anderson Carmo, marido da deputada federal e cantora gospel brasileira Flordelis, teve novos desenvolvimentos nas últimas horas. Uma das 51 filhas adotivas do casal disse que a mãe sabia e não tentou impedir a morte do religioso, ocorrida no dia 16 de junho.

O depoimento de Marzy Teixeira, dado à polícia civil no dia 24 de junho e considerado na altura inválido, voltou a ser considerado pela polícia. Segundo ela, tinha pedido a um dos irmãos que está preso há mais de um mês, Lucas Cézar dos Santos, para que a ajudasse a matar o seu pai e que a mãe, a deputada do PSD pelo Rio de Janeiro, sempre soube do plano.

Lucas, por sua vez, declarara que a filha de Flordelis havia pedido para que ele matasse Anderson por 10 mil reais (cerca de 2500 de euros) três meses antes do acontecido. Segundo Maryz, o seu irmão teria concordado com o plano inicial de cometer o crime dentro da casa da família, em Pendotiba, Niterói, nos arredores do Rio. E Flordelis não só não se opõs como teria concordado. No depoimento, Maryz dissera ainda que o pastor havia tentado abusar sexualmente de uma neta.

Por outro lado, notícia do jornal Extra dá conta de um depoimento da mãe do pastor Anderson do Carmo em que ela revelava à polícia que corriam boatos de que seu filho estava tendo um caso amoroso com uma das filhas biológicas de Flordelis.

Maria Edna do Carmo afirmou ter sabido desse boato através de um fiel da igreja do pastor, que além de lhe relatar os rumores, ainda perguntou se Anderson estava em processo de separação da parlamentar. A polícia do Rio não confirmou as declarações e informou apenas que a investigação corre sob sigilo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG