Ex-advogado de Trump desmente-o sobre reunião com russos

Donald Trump afinal saberia do encontro que está no centro da investigação à alegada conspiração da sua equipa de campanha com a Rússia para ganhar as eleições.

O advogado Michael Cohen garante que o presidente dos EUA soube antecipadamente da reunião, em junho de 2016, para obter informação negativa dada pela Rússia sobre a rival Hillary Clinton, noticia esta sexta-feira a imprensa norte-americana.

A informação, revelada pela CNN e a NBC News, contradiz diretamente a garantia dada por Donald Trump de que desconhecia a realização do encontro entre os principais responsáveis da sua equipa de campanha - entre eles um dos filhos e o genro - com elementos russos que prometiam fornecer dados prejudiciais à candidatura da democrata Hillary Clinton.

A reunião teve lugar a 9 de junho de 2016 nos escritórios da Torre Trump, em Nova Iorque, sendo um dos elementos centrais da investigação conduzida pelo ex-diretor do FBI Robert Mueller sobre a alegada conspiração entre a campanha do então candidato republicano e a Rússia.

Donald Trump, os seus conselheiros e advogados têm negado sempre que o então candidato soubesse do caso. Já como presidente, Trump afirmou aos jornalistas que "só ouvi[u] falar disso há dois ou três dias atrás".

Segundo as fontes da CNN, Michael Cohen - cujos documentos foram confiscados há algumas semanas - alega ter estado presente quando o filho de Trump contou ao pai que figuras russas lhe tinham proposto um encontro e que Donald Trump aprovou a sua realização.

A NBC News adiantou que Cohen se disponibilizou a testemunhar sobre essa reunião perante Robert Mueller.

Rudy Giuliani, atual advogado de Donald Trump, desvalorizou a informação dada por Cohen dado este não ter credibilidade.

Contudo, a afirmação de Giiuliani de que Cohen "tem mentido ao longo dos anos" poderá ser prejudicial para Donald Trump pois Michael Cohen foi seu representante legal durante muito tempo.

Exemplos das informações potencialmente negativas que Cohen terá sobre Trump são os pagamentos que fez em seu nome, na fase final da campanha presidencial norte-americana, a várias mulheres que alegavam ter sido suas amantes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG