Estátua de manifestante antirracista que substituiu a de esclavagista foi retirada

Cidade de Bristol retirou a estátua menos de 24 horas depois de esta ter sido colocada no local sem autorização.

A estátua de uma manifestante antirracista, que tinha substituído a do negociante de escravos arrancada durante os protestos de junho em Bristol, no Reino Unido, foi removida esta quinta-feira, 24 horas depois de ter sido colocada. As autoridades locais alegam que foi colocada no local sem autorização e que cabe aos habitantes da cidade decidir o que será erguido no plinto vazio.

A estátua intitulada "A Surge of Power" (uma vaga de poder), obra do artista Marc Quinn, representa a manifestante Jen Reid, com o punho erguido, como foi fotografada a 7 de junho durante os protestos Black Lives Matter (as vidas negras contam), desencadeados após a morte do afro-americano George Floyd às mãos da polícia nos EUA.

Substituiu a estátua de Edward Colston, um negociante de escravos do século XVII e deputado conservador que deixou a sua fortuna à cidade, que foi derrubada e atirada ao porto pelos manifestantes.

"Esta manhã removemos a escultura", disse a câmara de Bristol num comunicado. "Irá ficar guardada no nosso museu para o artista a poder recolher ou doar para a nossa coleção", acrescentaram.

A escultura, temporária, foi colocada em segredo na quarta-feira, com Reid a estar presente na ocasião: "Não vejo que seja retirada rapidamente", disse então. Mas 24 horas depois foi retirada, com as autoridades locais a insistir que devem ser os habitantes da cidade a decidir o que substitui a estátua de Colson, erguida em 1895.

"A escultura que foi instalada é o trabalho e decisão de um artista de Londres", tinha dito o presidente da câmara, Marvin Rees, na quarta-feira. "Não foi pedida e não houve permissão para ser instalada", acrescentou.

Já há uma petição online a pedir que a estátia de Jen Reid seja novamente colocada no local.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG