"Ministério Público é o principal defensor da infanta Cristina"

Mãos Limpas apresentou queixa contra a irmã do rei de Espanha. Está indignada com tentativas para livrá-la do julgamento do caso Nóos. O seu secretário-geral, Miguel Bernad, disse em entrevista ao DN que a organização acredita estar a representar o interesse da sociedade espanhola.

Mãos Limpas está satisfeita com o início do julgamento do caso Nóos em que a infanta Cristina se sentou no banco dos réus?

Sim, muito, mas não podemos esquecer que somos a única acusação popular e está a ser uma luta entre David e Golias. Estamos indignados ao comprovar que o Ministério Público é o principal defensor da infanta. É evidente que o advogado do Estado e a procuradoria-geral querem que Dona Cristina não seja julgada. Apesar de tudo estamos muito contentes com esta ação popular. A nossa atuação está totalmente legitimada pelo artigo 125.º da Constituição por muito que o Ministério Público diga o contrário. Este artigo diz que os cidadãos podem exercer a ação popular e participar na Administração da Justiça.

Como responsáveis pela acusação à infanta Cristina sentem que cumpriram um dever civil?

Supostamente. Não temos outro interesse que não seja defender a sociedade civil da corrupção. Dona Cristina estava implicada em muitos dos delitos do marido, era uma colaboradora necessária. Decidiram acusá-la de apenas dois delitos quando por parte dela existia também branqueamento de capitais.

Quem mais deveria estar sentado no banco dos réus?

A ex-presidente da Câmara Municipal de Valência Rita Barberá, o ex--presidente da câmara de Madrid Alberto Ruiz Gallardón, o ex-presidente da Generalitat valenciana Francisco Camps. Se o ex-presidente do governo das Ilhas Baleares Jaume Matas vai ser julgado, eles também deviam sê-lo, para que exista um mesmo critério.

Sentem que a sociedade espanhola apoia a ação da organização Mãos Limpas?

A sociedade espanhola apoia-nos. Nestes dias vimos que o apoio é unânime nas redes sociais. Só um grupo reduzido de monárquicos, como era de esperar, nos critica. Em relação aos meios de comunicação social espanhóis, os jornais 'ABC' e 'La Razón' também estão contra nós mas o resto dos jornais liberais concordam com a nossa atuação. É simples. Defendemos que todos são iguais perante a lei.

Qual considera que é o pior delito cometido por Dona Cristina?

Fazer parte da organização criminosa que foi criada à volta deles, com dois casais envolvidos [ela e Iñaki Urdangarín e o ex-sócio e a sua respetiva mulher], bem como o assessor das infantas, o advogado da Casa Real espanhola, etc... Existia uma organização, que ainda por cima tinha o apoio e a aprovação do rei emérito [Juan Carlos]. Mas ninguém utilizou a palavra organização criminosa nos nove delitos que estão em causa. Era uma estrutura societária para esvaziar os cofres públicos.

Iñaki Urdangarín ou Diego Torres [o seu antigo sócio]. Qual dos dois é o mais culpado?

50%-50%. Urdangarín era o gancho para poder chegar aos escritórios de políticos e empresários. E Torres era o cérebro dos números e dos movimentos. Ambos formavam uma boa equipa. Penso que têm os dois o mesmo tipo de responsabilidade.

A Mãos Limpas também queria que Juan Carlos e o rei Felipe VI fossem ouvidos pela justiça...

Sim. Mas a Constituição espanhola não permite que o rei emérito e o atual sejam considerados imputados. É, porém, evidente que o rei emérito conhecia esta rede e participou nela com algum telefonema para que o seu genro fosse recebido nos escritórios de alguns políticos e personalidades.

Espera surpresas no julgamento [que começou no dia 11 e é retomado a 9 de fevereiro]?

Agora já não. A surpresa poderia ter sido ver Dom Juan e Dom Felipe VI no banco dos réus porque seria o descrédito absoluto da monarquia em Espanha. O que agora se espera é que o procurador chegue a um acordo com os acusados para que as penas sejam reduzidas. E provavelmente vão cumprir um par de anos na prisão para depois lhes aplicarem outro qualquer regime de liberdade.

E em relação à infanta Cristina, espera que seja aplicada a chamada doutrina Botín [jurisprudência do Supremo Tribunal, segundo a qual um caso não vai a julgamento se só houver uma acusação particular e nem a procuradoria nem os prejudicados apresentarem queixa]?

Temo que assim seja. Vamos saber a decisão antes de 9 de fevereiro.

A acontecer isso, qual será o vosso passo seguinte?

Existe um recurso de súplica que não vai servir para nada mas vamos esgotar todas as possibilidades. Tal como disse no princípio, esta é uma luta entre David e Golias. Nós defendemos a sociedade civil. Não somos nem republicanos nem monárquicos, de direita ou de esquerda, por muito que alguns queiram falar do meu passado de há 25 anos. Queremos que este país funcione e acabe com a corrupção.

No início do julgamento surgiu a notícia da apropriação indevida de 103 500 euros por parte da advogada da Mãos Limpas e do seu secretário-geral - que é o senhor. Que comentário faz sobre isso?

É uma montagem. É um delito falso. Não ficámos com o dinheiro de ninguém e isso está a ser feito para nos desprestigiar. Estávamos à espera de algum escândalo para nos magoarem mas não imaginávamos uma coisa assim tão descarada.

A advogada do Estado acusa a Mãos Limpas de não estar a ser imparcial nem procurar o bem comum...

Espanha é um país de corruptos, juízes, políticos, empresários... É necessário dar uma volta às instituições todas para que isto mude. Ouvir a advogada do Estado espanhol dizer que as Finanças não somos todos é uma desqualificação do sistema.

Em Madrid

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.