Encurraladas pelo fogo. 37 pessoas morreram num centro comercial

Pelo menos 37 pessoas morreram num incêndio num centro comercial nas Filipinas

Os bombeiros recuperaram hoje um corpo de um incêndio que deflagrou no sábado num centro comercial, na cidade de Davao, no sul das Filipinas.

A autarca de Davao, Sara Duterte-Carpio, afirmou que os bombeiros transmitiram aos familiares dos 36 funcionários de uma empresa localizada no topo do 'shopping' NCCC, de quatro andares, que ninguém poderia sobreviver ao extremo calor e ao espesso fumo.

"Foi-lhes dito que as probabilidades de sobrevivência eram de zero", afirmou, indicando que, pelo nome, um dos funcionários que se encontram encurralados dentro do centro comercial será um cidadão chinês ou sul-coreano.

O fogo deflagrou na manhã de sábado no NCCC, cujo quarto e último piso é ocupado por um 'call center', aberto 24 horas por dia, da propriedade da multinacional norte-americana SSI, uma sociedade de estudos de mercado.

O incêndio foi dado como controlado hoje de manhã, mas os bombeiros ainda não conseguiram aceder à zona do edifício onde se acredita que esteja encurralada a maioria dos trabalhadores.

Os bombeiros não vão parar até serem encontrados todos os que foram dados como desaparecidos, disse Duterte-Carpio.

A chefe do departamento de marketing do centro comercial, Janna Abdullah Mutalib, afirmou que o incêndio deflagrou no terceiro piso, onde são vendidos produtos como têxteis, eletrodomésticos e móveis.

Investigadores vão determinar as causas do incêndio e eventuais processos-crime contra os proprietários do 'shopping' e funcionários vão depender dos resultados dessa investigação, indicou a autarca de Davao, que é filha do Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, que foi, durante vários anos, também ele presidente da câmara daquela cidade, onde nasceu,

Davao, na ilha de Mindanao, que figura como a maior do sul das Filipinas, fica a cerca de 1.000 quilómetros da capital, Manila, e tem uma população estimada em 1,5 milhões de habitantes.

O próprio chefe de Estado filipino deslocou-se ao início da madrugada à cidade para se encontrar com os familiares das vítimas reunidos perto do centro comercial.

Exclusivos