Encontrou o marido num centro comercial 10 anos depois de ele ter desaparecido

Sandie viu o marido pela última vez quando ele saiu de casa após uma discussão. Tinham dois filhos e ela acabou por dá-lo como desaparecido. Até que o encontrou por acaso

A história só se tornou pública porque Sandie Gillette, de 44 anos, espera ainda obter uma justificação do pai dos filhos: a mulher encontrou por acaso o marido, Russell Jenkin, no parque de estacionamento de um centro comercial não muito longe da casa onde viveram juntos, mais de dez anos depois de Jenkin ter desaparecido após uma discussão do casal.

Segundo a imprensa australiana, o homem fora visto pela última vez em 2006, deixando a casa onde vivia com a mulher e os dois filhos, então com quatro e dois anos, em Werribee, uma pequena cidade nos subúrbios de Melbourne. Nunca regressou. Com o passar do tempo, foi dado como desaparecido e consta mesmo na lista oficial de pessoas desaparecidas da polícia. Nunca respondeu a qualquer apelo para regressar a casa e as buscas das autoridades sempre se revelaram infrutíferas.

Até que, no início deste ano, Sandie Gillete estava no parque de estacionamento do centro comercial e teve a certeza de avistar o marido. "Sempre acreditei que ele estava algures por aí. Mas foi um choque vê-lo. Não sei como explicar. Fiquei adormecida", disse ao site australiano news.com.au. A mulher garante que Jenkin também viu a família, mas nenhum dos dois parou depois de se cruzarem. "Estivemos à distância de um carro", explica."Ele podia ter-nos abordado, mas o que é que se diz a alguém que esteve desaparecido por dez anos?".

Meses depois - o encontro aconteceu em janeiro - Sandie Gillete decidiu tornar a história pública, sobretudo para lançar mais um apelo ao pai dos filhos, que não voltou a encontrar desde então. "Pessoalmente, não espero que ele volte. Mas isso não quer dizer que os filhos não possam conhecê-lo", explicou. Até agora, Russell Jenkin não respondeu a qualquer apelo parar retomar contactos com os mais novos e, para efeitos oficiais, permanece "desaparecido".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG