Educadora que picava crianças com agulhas condenada à prisão na China

Tribunal condena Liu Yanan a 18 meses de prisão por abuso infantil. Tribunal criticado nas redes sociais por não punir responsáveis da escola, que pertence à rede RYB Education.

A ex-educadora de um jardim de infância privado em Pequim que costumava ferir crianças, com picadas de agulha, foi condenada a 18 meses de prisão, por abuso infantil. Liu Yanan foi ainda proibida de exercer qualquer atividade envolvendo crianças nos cinco anos após cumprir a pena, anunciou o tribunal onde o caso foi julgado

A jovem de 22 anos foi detida no final de 2017, após denúncias de maus tratos, numa das escolas bilingue chinês/ inglês, da rede privada RYB Education New World. A RYB está presente no NASDAQ, praça financeira dos Estados Unidos, e tem mais de 1000 jardins de infância e centros de estudo dispersos pela China.

Liu violou a "ética e deveres da sua profissão ao usar objetos em forma de agulha para ferir várias crianças (...) a sua conduta causou danos graves à saúde física e psicológica dos menores ", afirmou o tribunal do distrito de Chaoyang. Nas redes sociais, vários internautas consideraram a sentença muito leve, criticando a falta de punição para os responsáveis da escola.

Na sequência das acusações a Liu, três responsáveis foram investigados por falta de supervisão. Em abril de 2017, a RYB suspendeu o diretor e dois professores numa outra escola do grupo, em Pequim, depois de um vídeo difundido nas redes sociais mostrar um professor a pontapear crianças.

Exclusivos