Professor que simulou ataque internado em hospital psiquiátrico

Educador de infância inventou que tinha sido atacado por um militante do Estado Islâmico

O professor do jardim-de-infância que na segunda-feira afirmou ter sido esfaqueado por um 'jihadista' em Aubervilliers, a nordeste de Paris, foi internado num hospital psiquiátrico, anunciou a justiça francesa.

O homem, detido preventivamente no dia do incidente, foi sujeito a uma avaliação psiquiátrica que concluiu haver "alteração do discernimento e incompatibilidade do estado de saúde com a medida de prisão preventiva", levantada hoje de manhã.

"Uma perícia psiquiátrica será realizada assim que for possível", indicou a mesma fonte, citada pela agência France Presse.

O professor foi preso preventivamente na segunda-feira por denúncia de crime ou delito imaginário depois de ter "simulado a agressão por razões que o inquérito deverá estabelecer".

O educador, de 45 anos, afirmou inicialmente que foi agredido com um objeto cortante na sala de aulas, antes da chegada das crianças, por um homem que disse agir em nome do grupo extremista Estado Islâmico.

O Ministério da Educação de França anunciou hoje que suspendeu o professor e determinou a sua substituição e que vai abrir um processo disciplinar que pode conduzir ao despedimento.