Eduardo Cunha foi preso em Brasília

Ex-líder da Câmara dos Deputados do Brasil foi o principal responsável pelo início do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

De acordo com a imprensa brasileira, Eduardo Cunha, foi detido perto do prédio onde vive em Brasília. A casa do ex-deputado no Bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, foi alvo de buscas. A ordem foi dada pelo juiz Sérgio Moro, o responsável pelo processo Lava-Jato.

Segundo um comunicado oficial da Justiça Federal do Paraná, Moro pediu a prisão de Eduardo Cunha pois a sua liberdade representava um risco "à instrução do processo, à ordem pública, como também a possibilidade concreta de fuga em virtude da disponibilidade de recursos ocultos no exterior, além da dupla nacionalidade (Cunha é italiano e brasileiro)".

"Enquanto não houver rastreamento completo do dinheiro e a total identificação da sua localização atual, há um risco de dissipação do produto do crime, o que inviabilizará a sua recuperação. Enquanto não afastado o risco de dissipação do produto do crime, presente igualmente um risco maior de fuga ao exterior, uma vez que o acusado poderia se valer de recursos ilícitos ali mantidos para facilitar fuga e refúgio no exterior", afirmou o juiz Sérgio Moro na sua decisão, escreve o jornal Folha de São Paulo.

Informações dadas pela Polícia Federal indicam que o ex-deputado do PMDB deverá chegar a Curitiba, onde se encontra Sérgio Moro, ao final da tarde. A GloboNews adianta que a sua prisão é preventiva, ou seja, por tempo indeterminado.

Eduardo Cunha perdeu o mandato de deputado federal em setembro, perdendo assim também o chamado foro privilegiado, que lhe dava o direito que estar apenas à mercê do Supremo Tribunal Federal.

O ex-deputado é acusado de receber subornos por contratos de exploração de petróleo no Benim, em África, e de utilizar contas na Suíça para branqueamento de capitais. Cláudia Cruz, a mulher de Eduardo Cunha, já está a responder por branqueamento de capitais e fuga de capitais.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG