Eduardo Bolsonaro visita pai no hospital com arma à cintura

Em manifestações e no próprio Congresso Nacional, o deputado e provável embaixador já havia sido fotografado de pistola. Jair Bolsonaro só deve ter alta no fim de semana e por isso o vice-presidente Hamilton Mourão assume, para já, o cargo.

O deputado federal e provável novo embaixador do Brasil nos Estados Unidos Eduardo Bolsonaro visitou o pai, o presidente da República Jair Bolsonaro, a recuperar no hospital de uma operação a uma hérnia, exibindo uma arma à cintura.

A imagem - partilhada pelo próprio no Instagram - gerou controvérsia sobretudo pelo local - um hospital - onde foi registada mas não é inédita: Eduardo, que antes da carreira política era escrivão da polícia federal, já foi fotografado de arma em manifestações e até no Congresso Nacional.

A família Bolsonaro, adepta de tiro, defendeu em campanha a flexibilização do porte e da posse de armas. O presidente emitiu decretos nesse sentido ainda em tramitação no parlamento.

Noutro momento polémico da sua carreira política, Eduardo disse que para fechar o Supremo Tribunal Federal bastavam um soldado e um cabo.

A visita de Eduardo ocorreu horas depois de Bolsonaro ter sido operado pela quarta vez ainda em decorrência da facada sofrida num evento de campanha em setembro do ano passado. Segundo os médicos, apesar de mais demorada do que o previsto, a cirurgia correu bem e o presidente brasileiro não apresenta nem febre nem dores.

Como a alta médica, no entanto, só deve surgir dentro de cerca de uma semana, o vice-presidente Hamilton Mourão assume a presidência oficialmente. Bolsonaro já deverá estar apto a participar na Assembleia Geral da ONU, dia 24.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras