Trump reúne-se com presidente do México, antes de discurso sobre imigração

O candidato republicano foi convidado pelo presidente a visitar o México, após uma campanha marcada pela tensão

Donald Trump aceitou o convite do presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, para visitar o seu país esta quarta-feira. Peña Nieto tinha convidado os candidatos presidenciais dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton.

O candidato republicano divulgou pelo Twitter que aceitou o convite e que "estava ansioso" por se reunir com o presidente mexicano.

O encontro irá acontecer horas antes de Donald Trump revelar, num discurso, o seu plano para combater a imigração ilegal nos Estados Unidos, que é um dos pontos mais fortes da sua campanha presidencial.

As ideias expressas pelo candidato republicano têm causado alguma tensão com a comunidade latina do país. Em 2015, no discurso em que anunciou a candidatura à Casa Branca, Trump afirmou que o México enviava o "pior tipo de pessoas" para os Estados Unidos.

"Eles trazem drogas, eles trazem o crime, eles são violadores, e assumo que algumas pessoas sejam boas, mas falei com guardas das fronteiras e eles contaram-me o que nós estamos a receber", disse o empresário no início da campanha.

Trump também declarou que iria mandar construir um muro entre os Estados Unidos e o México e que a construção seria paga pelo governo mexicano.

Penã Nieto respondeu a estas afirmações na altura, dizendo que o México não pagaria pelo muro "de forma nenhuma".

Esta terça-feira, o presidente do México escreveu no Twitter que tinha convidado os candidatos norte-americanos pois acredita "no diálogo para promover o interesses do México em todo o mundo e principalmente para proteger os mexicanos onde quer que estejam".

Numa entrevista à emissora Televisa no passado dia 16 de agosto, Peña Nieto disse que o seu Governo "está absolutamente disposto a trabalhar com quem eventualmente seja escolhido Presidente dos Estados Unidos" em novembro.

Questionado sobre se se reuniria com Trump, que durante a sua campanha fez declarações ofensivas contra os imigrantes mexicanos, Peña Nieto respondeu afirmativamente.

"Gostaria eventualmente de dialogar com os dois candidatos. Porque creio que é importante. Ouvi diferentes argumentos, o que se disse nos discursos, e parece-me que há uma visão distorcida do que realmente significa a relação entre o México e os Estados Unidos", disse.

Penã Nieto comparou Donald Trump a Adolf Hitler e Benito Mussolini em março deste ano. Numa entrevista a um jornal local, o presidente afirmou que a retórica "estridente" do candidato republicano prejudicava as relações entre os dois países e que no passado este tipo de discurso tinha levado a "situações perigosas".

"Foi assim que Mussolini conseguiu, foi assim que Hitler conseguiu: eles aproveitaram-se da situação, um problema talvez, que a humanidade enfrentava na altura", afirmou Peña Nieto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG