"Foi muito bom", diz Trump sobre telefonema ao presidente do México

Líderes dos EUA e do México concordaram em não falar publicamente sobre o muro

Donald Trump falou ao telefone esta sexta-feira com o seu homólogo mexicano, uma comunicação que segundo a Casa Branca durou cerca de uma hora e que presidente norte-americano descreveu depois como "muito boa".

"Tivemos uma conversa muito boa. Tenho insistido muito no México. Tenho grande respeito pelo México.... mas como sabem o México, [nas relações] com os Estados Unidos, têm-nos derrotado violentamente através dos nossos líderes anteriores. Eles têm-nos feito parecer parvos", afirmou Donald Trump em conferência de imprensa na Casa Branca, citado pela Reuters.

O presidente norte-americano acrescentou que a conversa foi amistosa e e que espera a renegociação do acordo de comércio com o México num futuro próximo.

Pouco depois, a presidência mexicana emitiu um comunicado revelando que que os dois presidentes concordaram em resolver as suas diferenças a propósito da construção de um muro na fronteira entre o México e os Estados Unidos e o respetivo pagamento "como parte de uma discussão abrangente sobre todos os aspetos da relação bilateral".

"Os presidentes acordaram por agora não falar publicamente sobre este assunto controverso", acrescenta o documento, divulgado pelas agências internacionais.

Ontem, quinta-feira, o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, cancelou o encontro com Trump agendado para a próxima terça-feira em Washington, depois de Trump ter insinuado que se o México não queria pagar o muro que quer construir na fronteira entre os dois países, seria melhor que a reunião não se realizasse.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do México, Luis Videgaray, afirmou nesse dia, em Washington, ser inaceitável para o seu país pagar o muro que o Presidente dos EUA quer erguer na fronteira por uma questão de "dignidade".

"Há assuntos que são [inaceitáveis] por uma questão de dignidade, que não têm que ver com as exportações ou com a economia, mas com o coração e o orgulho dos mexicanos", sublinhou o chefe da diplomacia mexicana, numa conferência de imprensa na embaixada do México em Washington.

Donald Trump assinou na quarta-feira um decreto para o início da construção de um muro ao longo da fronteira entre os Estados Unidos e o México - que tem uma extensão total de cerca de 3000 quilómetros - para travar a entrada de imigrantes ilegais no território norte-americano, dando o primeiro passo para concretizar uma das mais polémicas promessas da sua campanha eleitoral para as presidenciais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG