Diretora do FMI culpada de negligência por desvio de dinheiro público

Lagarde foi condenada no "caso Tapie"

Christine Lagarde, a atual diretora-geral do FMI, foi considerada culpada de de "séria negligência" pela justiça francesa, num caso de desvio de dinheiros públicos, mas não terá de cumprir qualquer pena.

O tribunal considerou que Lagarde atuou de forma negligente quando era ministra da Economia de Nicolas Sarkozy, durante o processo de indemnização estatal pela venda da Adidas a um banco público, ao recorrer à arbitragem, o que terá beneficiado Bernard Tapie, em vez de deixar a justiça comum funcionar.

Por decisão na arbitragem, o Estado teve de indemnizar o empresário, próximo de Sarkozy, em 404 milhões de euros, com o argumento de que o Crédit Lyonnais tinha conseguido um lucro exagerado graças à Adidas.

A atual diretora-geral do FMI sempre disse estar inocente e o Ministério Público pediu mesmo a sua absolvição. Esta segunda-feira, Lagarde não se deslocou ao tribunal para ouvir a sentença, cuja pena poderia significar o cumprimento de até um ano de cadeia e o pagamento de 15 mil euros de indemnização.

Lagarde tutelou a economia francesa entre 2007 e 2011.

Neste caso, também são arguidos, entre outros, o seu chefe de gabinete em 2007 e atual presidente da operadora de telecomunicações Orange, Stéphane Richard, e o próprio Bernard Tapie, por "desvio de fundos públicos" e cumplicidade.

Em atualização

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.