Detido responsável da Volkswagen na Coreia do Sul

O homem, de 52 anos, é acusado de falsificação de documentos e violação da lei de conservação do ar

Um responsável pela Volkswagen na Coreia do Sul foi detido hoje no âmbito do escândalo de manipulação de emissões dos veículos da marca alemã, informa a agência Yonhap.

O tribunal do distrito central de Seul emitiu ordem de detenção ao responsável, de 52 anos, e identificado pelo apelido Yoon, acusado de falsificação de documentos e violação da lei de conservação do ar, entre outros crimes.

O Ministério Público sul-coreano acredita que Yoon, responsável pela Audi Volkswagen Coreia e encarregado do processo de certificação dos veículos, falsificou relatórios para obter a aprovação do Governo sul-coreano sobre a emissão dos veículos.

O tribunal assegurou que existem suficientes provas para acusar Yoon, que se tornou o primeiro executivo da marca alemã detido na Coreia do Sul devido ao chamado caso "dieselgate".

A Volkswagen pode ter falsificado, entre agosto de 2010 e fevereiro de 2015, mais de 100 relatórios sobre emissões, níveis de ruído e eficiência de combustível dos seus automóveis, segundo as acusações do Ministério Público.

Suspeita-se também de que alguns veículos foram importados sem serem submetidos ao processo de certificação, já que na Coreia do Sul todos os modelos estrangeiros têm de ser aprovados pelo Instituto Nacional de Investigação do Meio Ambiente, que avalia emissões e ruído.

O caso veio a público no ano passado, quando se descobriu que a Volkswagen tinha usado um 'software' fraudulento para falsificar as emissões dos seus veículos em vários países, incluindo a Coreia do Sul.

O Governo sul-coreano impôs ao fabricante alemão, em novembro, uma multa de 11,5 milhões de euros e ordenou a chamada à revisão de 125 mil veículos no país.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG