Destacado dirigente do Estado Islâmico morto em Raqqa

Informação foi avançada pelo Pentágono

A coligação militar liderada pelos Estados Unidos matou um destacado dirigente do grupo extremista Estado Islâmico, Boubaker El-Hakim, num bombardeamento aéreo contra Raqqa a 26 de novembro, informou hoje o Pentágono.

"Aviões militares da coligação identificaram e mataram o tunisino Boubaker El-Hakim em Raqqa, na Síria, a 26 de novembro", escreveu um porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Ben Sakrisson, numa mensagem de correio eletrónico enviada à agência France-Presse.

El-Hakim, um franco-tunisino de 33 anos, era "um quadro do Estado Islâmico e um terrorista de longa data com ligações estreitas a outros 'jihadistas' franceses e tunisinos", precisou.

El-Hakim foi apontado como suspeito de envolvimento nos atentados de Paris de janeiro e de novembro de 2015 e reivindicou o assassínio de dois opositores tunisinos em 2013.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG