Desapareceu o mural de Banksy sobre o Brexit

Obra simbolizava a saída do Reino Unido da União Europeia. Internautas mostram a sua indignação.

Desapareceu o mural do artista Banksy que criticava o Brexit. O mural que mostrava um trabalhador a destruir uma estrela da Bandeira da União Europeia foi retirado misteriosamente no fim de semana. A pintura tinha sido feita num edifício antigo em Dover, na Inglaterra, em maio de 2017.

A obra simbolizava a saída do Reino Unido da União Europeia e de acordo com a Euronews o mural terá sido coberto de tinta. Como rasto ficaram andaimes. David Joseph Wright, morador de Dover, disse à CNN que "no sábado foram montados vários andaimes em frente ao edifíco e na manhã seguinte já não estava lá nada".

Segundo a BBC, os proprietários do edifício afirmaram que estavam "a explorar formas de reter, remover ou vender" a obra. O edifício será agora demolido.

Nas redes sociais, os moradores de Dover têm mostrado indignação quanto à situação, caracterizando o acontecimento como um ato de "vandalismo cultural".

Esta não é a primeira vez que obras de Banksy são destruídas. Em 2016 um mural do artista avaliado em 1,1 milhões de euros foi destruído durante obras de reconstrução da casa onde tinha sido pintado em 2014. A peça intitulada "Spy Booth" representava três homens a ouvir as conversas numa cabine telefónica em Cheltenham, no sudoeste de Inglaterra.

Banksy é conhecido pela sua arte de rua que faz críticas a temas como a guerra, capitalismo, hipocrisia ou ganância.

Exclusivos

Premium

Contratos públicos

Empresa que contratava médicos para prisões não pagou e sumiu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.