Depois do furacão Dorian, Bahamas sente os efeitos do Humberto

Tempestade tropical deverá tornar-se num furacão antes do fim de semana chegar ao fim, estando a atingir zonas que foram devastadas há duas semanas. António Guterres está no terreno.

A tempestade tropical Humberto atingiu zonas das Bahamas já devastadas pelo furacão Dorian, trazendo chuvas e vento fortes este sábado, com os meteorologistas a prever que possa tornar-se num furacão antes de acabar o fim de semana.

A tempestade vai afastar-se das Bahamas no final de sábado, movendo-se para noroeste, mantendo-se a leste da costa da Florida, no Oceano Atlântico, ao longo da próxima semana, segundo a previsão do Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês).

O Humberto trouxe ventos de 85 km por hora, com rajadas ainda superiores, e deve tornar-se num furacão no domingo à noite, segundo o NHC.

"O Humberto vai provavelmente trazer ventos de força tropical e fortes chuvas a uma parte do noroeste das Bahamas",avisou o NHC, alertando a população para que siga as recomendações das autoridades locais.

Estas pediram aos residentes da maior ilha das Bahamas, cujas casas ficaram destruídas pelo Dorian a procurar abrigo. "Não corram riscos, os solos estão saturados e as inundações podem ocorrer rapidamente", alertaram as autoridades.

No sábado, a tempestade praticamente não se moveu, situando-se 45 km a nordeste de uma das ilhas das Bahamas. Esperava-se que voltasse a mover-se lentamente para noroeste no final deste sábado.

A chuva deverá chegar aos 15,24 cm em algumas áreas, mas não são esperadas marés elevadas na zona noroeste das Bahamas, devastadas no início do mês pela passagem do furacão Dorian.

O Humberto pode dificultar os esforços de ajuda humanitária às áreas onde milhares de estruturas foram destruídas, deixando 70 mil pessoas à espera de abrigo, água, alimentos e ajuda médica.

O Dorian atingiu as Bahamas a 1 de setembro como furacão de categoria 5, tendo sido um dos mais fortes furacões do Atlântico a atingir terra, com ventos de 298 km por hora.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, está nas Bahamas e publicou no Twitter a foto da devastação que encontrou, dizendo que nunca viu algo assim "O furacão Dorian não era de categoria 5, era de categoria inferno", escreveu, dizendo que é tempo de acordar e agir contra as alterações climáticas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG