Demite-se diplomata para a Europa da Administração Trump

Wess Mitchell, secretário de Estado adjunto dos EUA para a Europa e Eurásia, tem entre mãos dossiês como o da alegada interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas que deram a vitória a Donald Trump em 2016

Invocando razões pessoais, nomeadamente a necessidade de passar mais tempo com os filhos, Wess Mitchell pediu a demissão do cargo de secretário de Estado adjunto dos EUA para a Europa e Eurásia, avança, esta terça-feira, o Washington Post.

Segundo o jornal, Mitchell, que entre outras coisas tinha entre mãos o dossiê da alegada interferência russa nas eleições de 2016 nos EUA, pediu a demissão em carta enviada ao secretário de Estado, Mike Pompeo, no dia 14. E indicou que o seu último dia é 15 de fevereiro.

Em declarações ao Post, Mitchell garantiu que não pediu a demissão por discordar das políticas de Trump para a região, nomeadamente o facto de pôr em causa alianças como a NATO e a UE ou apoiar movimentos como o do Brexit.

Exclusivos