De empregada de limpeza a empresária de sucesso. A vitória de Victoria

Emigrou do Peru para os EUA sem saber sequer falar inglês. Hoje, é dona de várias empresas e fundou o primeiro jornal bilingue de Atlanta

Começou a mudar camas e a aspirar quartos, mas hoje Victoria Chacón é uma mulher bem sucedida: dirige várias empresas e, há cerca de 15 anos, fundou o jornal La Visión, o primeiro a ser publicado em inglês e espanhol na cidade norte-americana de Atlanta. As autoridades da Georgia, o estado dos EUA onde vive, já lhe atribuíram o título de "cidadã exemplar" e o seu país natal, o Peru, distinguiu-a com o galardão oferecido aos peruanos que se destacam no estrangeiro.

O dinheiro deixou de ser problema e tem toda a família junto a si. Mas nem sempre foi assim: Victoria começou do zero, num país que não era o seu, e percorreu um caminho árduo. No final, esforço e empenho deram resultado e a peruana tornou-se exemplo do "sonho americano" que se torna realidade.

Victoria Chacón nasceu no Peru, em Chancay, uma cidade a meia hora de Lima, a capital. O pai era um comerciante bem-sucedido, mas morreu cedo e deixou uma família numerosa na miséria.

Poucos anos depois, Victoria ficou órfã e viu-se obrigada a assumir a responsabilidade de cuidar da família. Acabou por emigrar para a cidade de Atlanta, nos Estados Unidos da América, onde não conhecia ninguém. Não falava inglês e o único emprego que conseguiu arranjar foi como empregada de limpeza num hotel: ganhava 4,25 dólares por hora a aspirar quartos e mudar camas.

Porque precisava de dinheiro para mandar para o único filho, que deixara no Peru, pediu mais trabalho. Pouco tempo depois, acumulava dois empregos a tempo inteiro, como funcionária em dois hotéis. "Lembro-me quando aspirava 20 ou 25 quartos e fazia até 40 camas, é um esforço físico tremendo", disse à CNN. Mas olhava e frente e continuava a trabalhar.

Foi-lhe proposta a limpeza de uma enorme mansão, por um jovem pintor que a tentava conquistar, mas havia uma contrapartida para ganhar os 1200 dólares (cerca de 1100 euros): era preciso cumprir a tarefa em dois dias. Não virou a cara ao desafio. Chamou dois colegas de trabalho e, no prazo exigido, a moradia estava impecável. Caiu nas boas graças do construtor, que prometeu continuar a chamá-la e recomendá-la aos seus três irmãos, que trabalhavam no mesmo ramo.

Foi assim que fundou a sua primeira empresa de limpeza, contratando antigos colegas: prosperou conseguindo contratos para limpar blocos de apartamentos, ao mesmo tempo que ia aprendendo inglês e ganhava experiência de gestão.

Hoje, décadas passadas desde que começou - tendo fundado entretanto o La Visión - assinala o segredo do seu sucesso: "atender todas as chamadas e responder a todas as mensagens de correio eletrónico". Já estendeu o negócio a outras áreas, das limpezas à comunicação social. A mais recente aposta foi uma agência de formação em segurança no trabalho, que decidiu fundar porque assistia aos constantes acidentes durante os trabalhos de construção civil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG