Coreia do Sul deteta duas estirpes altamente patogénicas de gripe aviária

Estas estirpes podem fazer com que as aves fiquem gravemente doentes e têm uma elevada taxa de mortalidade.

As autoridades da Coreia do Sul anunciaram hoje ter detetado duas estirpes altamente patogénicas do vírus da gripe aviária, cuja origem é atribuída a aves migratórias.

As duas estirpes do vírus foram detetadas em instalações de criação de patos da província de Jeolla do Sul, no sudoeste do país.

A primeira, detetada em 19 de novembro, é do subtipo H5N6. A segunda estirpe, cujo alerta foi dado em 02 de dezembro, é do mesmo subtipo, embora a sequência genética do vírus seja ligeiramente diferente.

As variantes altamente patogénicas do vírus são aquelas que, segundo a Organização Mundial de Saúde, podem fazer com que as aves fiquem gravemente doentes e têm uma elevada taxa de mortalidade.

A Coreia do Sul intensificou, nas últimas semanas, as medidas de quarentena nas instalações de criação de patos em Jeolla do Sul, após a descoberta dos casos de gripe aviária.

No início do mês, após ter sido detetado outro caso, as autoridades da Coreia do Sul ordenaram o abate de cerca de 76.000 patos em cinco quintas localizadas num raio de três quilómetros em torno do foco de infeção.

No ano passado, a Coreia do Sul teve de sacrificar mais de 30 milhões de aves para conter aquele que foi o pior surto de gripe aviária registado no país asiático.

Exclusivos