Comida, medicamentos, correio. Território remoto do Canadá vai ser abastecido por drones

No inverno o rio fica congelado e dificulta a ligação a Moose Factory. Serviço de drones pretende acabar com isolamento e promover desenvolvimento.

Os residentes de um remoto território conhecido como Moose Factory no Canadá vão começar a receber mercadorias transportadas por um drone a partir do próximo ano.

A Moose Cree First Nation, um território com duas "ilhas" a norte de Ontario, assinou um contrato comercial de 1,5 milhões de dólares (1,1 milhões de euros) com uma empresa de entrega que usa drones para transportar bens, medicamentos, alimentos e correspondência da cidade de Moosonee.

No verão, a ilha de Moose Factory, que fica separada de Moosonee pelo rio Moose, só é acessível por barco, enquanto no inverno a estrada de gelo é uma hipótese, quando as condições estejam reunidas, ou o helicóptero, muito caro. Ali vivem cerca de 5 mil pessoas de populações indígenas daquele território.

O serviço de entrega de drones começará na próxima primavera, após um ano de planeamento. Os drones terão uma carga útil máxima de 5 kg para a viagem de aproximadamente 10 minutos através do rio Moose, onde não há ponte ligando a reserva à cidade mais próxima.

"Pode ser um desafio transportar mercadorias, especialmente durante esta época do ano, quando o rio está congelado", disse o porta-voz de Moose Cree, Paul Chakasim, à BBC. "É realmente uma questão de tentar atender as comunidades que não têm infraestruturas, onde os bens básicos são muito difíceis de obter", disse Tony Di Benedetto, diretor de Drone Delivery Canadá, a empresa de drones.

Além de entregar mantimentos, os drones também podem ajudar na monitorização das mudanças sazonais. "Seria ideal usar um drone para monitorizar as ruturas do rio na primavera, porque quando fretamos um helicóptero isso pode ficar muito caro", disse Stan Kapashesit, diretor de desenvolvimento económico de Moose Creek.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG