Guterres. Os poluidores que paguem a crise das alterações climáticas

Taxar o carbono e não os salários. Para o secretário-geral da ONU, António Guterres, devem ser os causadores das alterações climáticas, e não os cidadãos comuns, a pagar impostos sobre os gases com efeito de estufa

António Guterres defendeu esta segunda-feira, na Nova Zelândia, a justiça social na questão das alterações climáticas.

"Temos de redirecionar [a base dos] impostos, dos salários para o carbono. Há que taxar a poluição, não as pessoas", afirmou esta segunda-feira o secretário-geral das Nações Unidas, durante uma cerimónia organizada em Auckland pelo ministro neozelandês das Alterações Climáticas, James Shaw, segundo um comunicado do seu serviço de imprensa.

Guterres, que está de visita à Oceânia e Pacífico, onde várias ilhas-nações estão a perder terreno devido à subida do nível do mar provocado pelo aquecimento global, também propôs o fim da subsidiação dos combustíveis fósseis.

"O dinheiro dos contribuintes não se deveria usar para aumentar os furacões, prolongar as secas e as ondas de calor, destruir os corais ou derreter glaciares", acrescentou Guterres.

O secretário-geral da ONU elogiou ainda o projeto de lei neozelandês destinado a eliminar a emissão de gases com efeito de estufa até 2045, como parte dos esforços globais para reduzir o aquecimento global até 1,5 graus centígrados até final do século.

Visita às mesquitas atacadas em março

António Guterres iniciou no domingo uma viagem àquela zona do mundo, que se vai prolongar até ao próximo dia 20. Esta segunda-feira visitou também as duas mesquitas da Nova Zelândia onde 51 fiéis foram mortos por um atirador em março.

No local, o secretário-geral da ONU disse aos jornalistas, em frente à mesquita Al Noor, em Christchurch, que não tinha palavras capazes de aliviar a tristeza e a dor e explicou que queria vir pessoalmente a estes locais para expressar o seu amor, apoio e admiração.

Guterres passou cerca de 30 minutos dentro da mesquita a conversar com líderes muçulmanos e sobreviventes dos ataques. Depois, viajou para a mesquita de Linwood, onde depositou uma coroa de flores e voltou a encontrar-se com sobreviventes.

O secretário-geral da ONU está a visitar vários países do Pacífico Sul, principalmente para promover a discussão sobre os problemas das alterações climáticas. Passará ainda por Tuvalu, Vanuatu e Fiji, onde vai participar no Fórum das Ilhas do Pacífico.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG