Cidade três vezes maior que Nova Iorque será continuação de Pequim

China vai construir uma zona económica especial que deverá escoar a pressão ambiental e de logística da capital

A China está a investir num empreendimento "histórico" que deverá ajudar a diminuir a poluição e o congestionamento da capital Pequim e preparar o país para o "novo milénio": uma cidade três vezes maior do que Nova Iorque.

A urbanização Xiongan New Area ficará nos condados de Xiongxian e Anxin, no distrito de Hebei - a 100 quilómetros de Pequim - e terá o estatuto de zona económica especial, sendo uma extensão da capital.

O projeto foi anunciado pelos líderes do partido comunista chinês este sábado, o que provocou um súbito e grande aumento da procura de imobiliário e terrenos na área. Segundo a BBC, reuniram-se vários investidores em Hebei nos últimos dias que tentavam obter um pedaço de propriedades que em breve vão valer muito mais.

No comunicado oficial, Xiongan New Area foi descrita pelo Comité Central do partido dirigente e o Conselho de Estado como "uma estratégia crucial para o novo milénio", segundo o The Guardian.

O objetivo é escoar a pressão da capital - que alberga agora cerca de 22 milhões de residentes e um número igualmente grande de carros - e ser um "novo capítulo na transição histórica do país para o crescimento coordenado, inclusivo e sustentável".

Já circulavam rumores há alguns meses sobre uma nova possível zona económica especial na China, onde as autoridades locais têm maior liberdade para governar e estabelecer normas económicas que atraiam investimento estrangeiro.

A confirmação durante o fim de semana deu início oficial à caça por parte dos investidores e os locais dizem que, de repente, a cidade foi invadida por milhares de pessoas.

"Tenho estado aqui à beira da estrada há pouco tempo e já muita gente me perguntou onde podem comprar casas e quanto as casas custam", contou um cidadão de Hebei ao canal Beijing News, segundo a BBC.

O povo da cidade parece contente pelo valor das suas propriedades ter subido subitamente. Na internet circulam piadas de que os homens de Xiongan são agora os mais desejáveis do país por terem enriquecido de repente.

Para impedir a rápida subida de preços, o governo suspendeu todas as novas vendas na região e impôs novas regulações sobre quem pode vender propriedades e construir na zona e quem pode obter autorização de residência.

Como resposta, vários investidores mudaram de foco e procuram agora terrenos à volta de Xiongan

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.