Chefe da agência ambiental do Brasil demite-se após críticas de Bolsonaro

Jair Bolsonaro recorreu à rede social Twitter para criticar o valor de um contrato de aluguer de carros por parte daquela agência federal.

A presidente da agência ambiental do Brasil (Ibama) demitiu-se esta segunda-feira após ser criticada pelo recém-eleito presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Suely Araújo foi alvo de críticas nas redes sociais, com Bolsonaro e Salles a questionarem o valor de um contrato de aluguer de veículos para o Ibama assinado em dezembro e no valor aproximado de 6,7 milhões de euros (28,7 milhões de reais).

"Quase 30 milhões de reais em aluguer de carros, só para o Ibama", escreveu o ministro do Meio Ambiente no Twitter.

Bolsonaro também se manifestou na mesma rede social - noutro exemplo das semelhanças com Donald Trump que lhe são apontadas - mas apagou a mensagem minutos após a publicação, segundo o jornal Folha de São Paulo.

"Estamos em ritmo acelerado, desmontando rapidamente montanhas de irregularidades e situações anormais que estão a ser e serão comprovadas e expostas. A certeza é: havia todo um sistema formado para, principalmente, violentar financeiramente o brasileiro sem a menor preocupação!", escreveu Bolsonaro, que eliminou depois o texto.

Suely Araújo defendeu, em comunicado, que o órgão de auditoria do Congresso do Brasil já teria aprovado o contrato de aluguer de carros em causa.

Na sua carta de renúncia ao cargo, a responsável pela agência ambiental do Brasil não se referiu às mensagens do Presidente do país e do ministro do Meio Ambiente.

"Considerando que a indicação do futuro presidente do Ibama, Eduardo Bim, já foi amplamente divulgada na imprensa e internamente na instituição ainda em 2018, antes mesmo do início do novo Governo, entendo pertinente o meu afastamento do cargo, permitindo assim que a nova gestão assuma a condução dos processos internos" deste organismo, escreveu Suely Araújo, nomeada para o cargo em 2016 pelo Presidente Michel Temer.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG