Centenas de milhares de pessoas pedem libertação de jovem que matou o homem que a violou

Cyntoia Brown foi presa em 2004, com 16 anos, por matar um homem que a tinha comprado para ser escrava sexual. Petição tem mais de cem mil assinaturas e várias celebridades apoiam a causa

Cyntoia Brown, de 29 anos, foi presa em 2004, quando tinha apenas 16 anos, depois de matar Johnny Allen, de 43 anos, em Nashville, EUA, que a comprara para ser escrava sexual. Agora, além de uma petição para libertar Cyntoia, que já conta com mais de 100 mil pessoas, várias celebridades juntam-se à causa.

Cyntoia Brown foi julgada como adulta, já cumpriu 13 anos de pena e será elegível para liberdade condicional depois de cumprir mais 51 anos, segundo o Fox 17 News Nashville.

Em 2011, o realizador Dan Birman fez um documentário intitulado Me Facing Life: Cyntoia's Story, que retrata os sete anos do caso da jovem. No seu julgamento, em 2004, Brown conta detalhadamente os abusos que sofreu por parte de Allen: foi arrastada, sufocada, agredida e teve várias vezes uma arma apontada à cabeça. Acabou por disparar contra Allen, fruto dos abusos e do medo.

Mãe e avó de Cyntoia também foram violadas

O documentário deu voz à sua história e ajudou também a mudar a lei do Tennesse, em 2011, para crianças que passaram por algo semelhante. Atualmente, alguém com 18 ou menos anos não pode ser acusado de prostituição. Se o julgamento de Cyntoia fosse nos dias de hoje, ela seria considerada vítima de tráfico humano infantil.

A Fox17 Nashville refere que Brown vinha de uma família com um longo histórico de abuso físico e sexual: a sua mãe e a sua avó também foram violadas.

Há várias pessoas que querem que o caso de Brown seja revisto, tendo em conta o seu histórico dentro da prisão: Cyntoia está a fazer uma licenciatura, enquanto trabalha com tribunais e com o Sistema de Justiça Juvenil como consultora não remunerada.

Kim Kardashian, Cara Delevingne, Snoop Dogg e Rihanna são celebridades que apoiam esta causa.

No tweet seguinte, Kim Kardashian escreveu: "O sistema falhou. É devastador ver uma vítima de tráfico sexual que teve coragem de se defender ser presa para o resto da vida! Nós temos que fazer melhor e o que está certo. Eu falei ontem com os meus advogados para ver o que se pode fazer a fim de resolver isto. #FreeCyntoiaBrown".

Cara Delevingne e Snoop Dogg publicaram a mesma imagem no Instagram.

Rihanna escreve ainda, "a todos vocês que são responsáveis pela sentença desta criança, eu espero que não tenham filhos, porque esta podia ser a vossa filha a ser punida por punir!"

Criou-se uma hashtag #FreeCyntoiaBrown ("Libertem Cyntoia Brown") e há uma petição que reclama a liberdade da jovem, que já tem mais de 100,000 assinaturas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG