Resort de naturistas em França atingido por surto "muito preocupante" de covid-19

Cerca de 100 turistas no resort Cap d'Agde, na costa mediterrânica de França, tiveram resultados positivos

As autoridades regionais de saúde francesas anunciaram um surto "muito preocupante" de coronavírus num resort de férias naturista na costa mediterrânica de França, com cerca de 100 turistas com resultados positivos até o momento.

O resort Cap d'Agde, na região de Herault, muito popular entre os naturistas, teve 38 testes positivos na segunda-feira e outros 57 na quarta-feira, disse a autoridade regional de saúde.

A taxa de infeção foi quatro vezes maior entre os naturistas no resort do que na própria aldeia, acrescentaram as autoridades.

Outros 50 turistas também tiveram resultado positivo após voltar para casa. Os resultados de mais testes são esperados esta semana.

Os números são "muito preocupantes", afirmaram as autoridades, acrescentando que foi um emitido um alerta.

Alguns dos turistas disseram ao jornal britânico The Daily Telegraph que o resort Cap d'Agde, na costa do Mediterrâneo, é frequentado por muitos "libertinos e swingers" que ignoraram as regras de distanciamento social.

"À noite, estamos todos amontoados, o que significa que medidas preventivas ou distanciamento físico são impossíveis. Francamente, este é um lugar onde se vem para conhecer pessoas. Ninguém vem aqui para jogar cartas. "

O jornal local, L'Indépendant, descreveu o resort como um "templo da libertinagem".

No entanto, um porta-voz do resort recusou excessos de comportamento: "Os nossos clientes são disciplinados e respeitaram as regras de saúde e distanciamento social. Eu não acho que se possa dizer que as pessoas foram mais descuidadas aqui do que em qualquer outro lugar."

O surto ocorre quando França registou no domingo quase 4.900 novos casos de coronavírus em 24 horas, o seu maior número desde maio, já que o ministro da saúde, Olivier Veran, reconheceu que havia "riscos" nos níveis de infeção em alta em todo o país.

Os testes aumentaram para 700 mil por semana, acrescentou Veran que enfatizou, entretanto, que a situação "não é a mesma de fevereiro", quando o vírus começou a espalhar-se em França. Atualmente, a covid-19 está a circular quatro vezes mais entre os menores de 40 anos do que entre os maiores de 65 anos.

Veran insistiu que um novo confinamento nacional "não está na agenda" e, ao contrário da primavera, "existe mais conhecimento e meios à disposição", com medidas direcionados para cada local.

França tem mais de 28 mil infeções confirmadas por coronavírus e 30.518 mortes, o terceiro maior número de mortes na Europa, depois de Reino Unido e Itália.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG