Caça mais avançado do mundo despenha-se no oceano Pacífico

Avião participava num exercício com outros três F-35. Piloto está desaparecido

Um caça F-35 da Força Aérea japonesa, um dos aviões de combate mais avançados do mundo, despenhou-se na terça-feira no oceano Pacífico, quando sobrevoava a costa leste de Aomori, e o piloto desapareceu, anunciou esta quarta-feira o Ministério da Defesa do Japão.

O caça participava num exercício com outros três F-35 e meia hora depois de descolar desapareceu do radar da Força Aérea japonesa, que está já a investigar as causas do acidente, informou o ministro da Defesa japonês, Takeshi Iwaya. Na terça-feira foram encontrados destroços do avião no Oceano Pacífico, disse.

A primeira esquadra de F-35 japoneses, caças que custam cerca de 90 milhões de euros, estava operacional há apenas 11 dias e o ministro da Defesa já determinou que os restantes 12 caças não vão voltar a voar enquanto não forem apuradas as causas do acidente. Este é o segundo acidente do género com um F-35, depois um acidente com um caça na Carolina do Sul, nos EUA, em setembro do ano passado.

O Japão é um dos 14 países que faz parte do programa dos F-35 e já tinha anunicado a aquisição de 147 caças. Os F-35, fabricados pela Lockheed Martin, têm a possibilidade de se tornarem invisíveis nos radares e oferecem ao piloto uma visão de 360º a partir do cockpit. A tecnologia nas comunicações é outra das mais-valias destas aeronaves. Além da destruição de alvos, recolhem informações valiosas e rapidamente as passam a centros nefrálgicos militares, que passam a ter uma visão de combate mais completa.

Exclusivos