Brexit: o plano de segurança para tirar a Rainha de Londres

Planos de segurança da Guerra Fria fora atualizados para e eventualidade de Brexit causar agitação social. Rainha será retirada de Londres.

As autoridades britânicas recuperaram os planos de emergência da Guerra Fria para mudar a a família real de local caso comecem motins em Londres na eventualidade de acontecer uma saída sem acordo da União Europeia, avançam dois jornais britânicos.

"Estes planos de emergência existem desde a Guerra Fria, mas agora foram adaptados para a eventualidade de se um Brexit sem acordo gerar tumultos sociais", avança o Sunday Times, citando uma fonte não identificada do Governo.

The Mail on Sunday avança que entre os planos, está prevista a deslocação da família real, incluindo a rainha, para localizações seguras fora de Londres.

O governo britânico tem lutado para conseguir apoio parlamentar para o acordo de transição do Brexit antes da data prevista para a saída, 29 Março e tanto Governo com empresas já preparam planos de contingência para a eventualidade uma saída sem acordo.

Grupos de empresários já avisaram para a possibilidade de perturbações várias caso as importações da União Europeia se trazem devido ao mau funcionamento das alfandegas e até para uma possível falta de medicamentos e alimentos.

No mês passado, num discurso anual da rainha de 92 anos a um grupo de mulheres foi interpretado como um apelo para que a classe política chegasse a acordo quanto ao Brexit.

Jacob Rees-Mogg, jurista conservador e acérrimo defensor do Brexit, disse ao Mail on Sunday que os planos revelam um pânico desnecessário por parte das autoridades quanto a uam saída sem acordo, ou não tivesse a realeza permanecido em Londres mesmo durante os bombardeamentos da II Guerra Mundial.

No entanto o Sunday Times avança que um polícia, antigo responsável pela proteção da realeza, Dai Davies conta coma retirada da Rainha de Londres na eventualidade de tumultos. "Se houver problemas em Londres, seguramente que a família real será retirada dos locais chave", diz.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG