Bélgica entrega à França três suspeitos de cumplicidade com alegado terrorista

Os três suspeitos foram presos em Bruxelas a 25 de março

A Bélgica entregou à França três alegados cúmplices de Reda Kriket, um suposto 'jihadista' francês preso em março, nos arredores de Paris, ao finalizar um ataque, confirmaram hoje fontes judiciais.

Abderrahmane Ameroud, com 39 anos, Rabah Meniker e Yasin Alani, ambos com 35 anos, foram entregues à justiça francesa no dia 4 de maio, sob um mandato de detenção europeu, emitido pelo juiz de instrução no caso de Kriket.

Os três suspeitos foram presos em Bruxelas em 25 de março, um dia após a polícia francesa ter prendido Kriket em Boulogne-Billancourt.

Yasin Alani admitiu ter planeado o roubo de carros com Kriket, mas negou conhecer os seus projetos terroristas, adiantam as fontes judiciais.

Na rusga ao apartamento de Kriket, em Argenteuil, França, a polícia encontrou material de fabrico de bombas, cinco armas 'kalashnikov', uma metralhadora, sete pistolas, muitas munições e sete telefones novos.

Este homem já tinha sido condenado em julho de 2015, na Bélgica, pelo seu envolvimento numa rede de recrutamento de 'jihadistas'.

Abderrahmane Ameroud, um dos seus alegados cúmplices, também já tinha sido também condenado em 2005.

A polícia francesa apanhou Ameroud por ter fornecido apoio logístico aos autores pertencentes à Al-Qaeda do assassinato do comandante afegão Ahmad Shah Massoud, que aconteceu dois dias antes do ataque de 11 de setembro nos Estados Unidos.

Anis Bahri foi outro homem ligado a esta rede capturado pela polícia holandesa, em Roterdão, e entregue à justiça francesa em agosto de 2016.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG