Bahrein, Sudão e EAU retaliam contra o Irão

Retaliações surgem depois de a Arábia Saudita ter dado dois dias aos diplomatas iranianos para abandonarem o país

Vários países do Médio Oriente seguiram o exemplo da Arábia Saudita e cortaram ou esfriaram as relações diplomáticas com o Irão. O Bahrein cortou relações, o Sudão expulsou o embaixador iraniano e os Emirados Árabes Unidos reduziram a equipa diplomática, avança a BBC.

A retaliação surge depois de a Arábia Saudita ter dado dois dias aos diplomatas iranianos para abandonarem o país, na sequência do ataque à embaixada do país em Teerão. Um ataque que acontece dias depois da execução do clérigo xiita Nimr al-Nimr, na Arábia Saudita, um país de maioria sunita, que fez escalar a tensão na região.

Embora a execução tenha levado a críticas e manifestações em quase todo o mundo árabe, estas foram mais violentas no Irão, a potência xiita do Médio Oriente. No Bahrein, um país de maioria xiita mas governado por um rei sunita, a população saiu às ruas para criticar a Arábia Saudita, mas o governo está alinhado com a Arábia Saudita e deu 48 horas aos diplomatas iranianos para saírem do país.

Já hoje a porta-voz da Comissão Europeia alertou para a necessidade de os dois países - Arábia Saudita e Irão - evitarem a "escalada de tensão". "Qualquer atividade violenta deve ser evitada e esperamos que os poderes ajam responsavelmente numa situação muito volátil. Vamos continuar a seguir muito de perto a situação e a manter contactos com os nossos parceiros. Todas as partes devem evitar a escalada de tensão", afirmou Catherine Ray

A Alta Representante da União Europeia (UE) para Política Externa e Segurança, Federica Mogherini, esteve domingo em contacto com os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG