Myanmar. Destroços de avião militar com 116 pessoas a bordo encontrados no mar

Desaparecimento confirmado por fonte do exército

Os destroços de um avião militar com 116 pessoas a bordo que tinha desaparecido dos radares em Myanmar, esta quarta-feira, foram encontrados no mar, avança a AFP, citando fontes oficiais.

"Foram encontradas no mar peças do avião", a 218 quilómetros da cidade de Dawei (sudeste da Birmânia), disse, em declarações à agência noticiosa francesa France-Presse, Zaw Naing Lin, um responsável da força aérea birmanesa.

Uma fonte aeroportuária precisou à France-Presse (AFP) que 116 pessoas estão a bordo do aparelho, dos quais 105 são passageiros e 11 são tripulantes.

O aparelho tinha descolado há pouco tempo da cidade de Myeik, no sul da Birmânia (atualmente Myanmar) e tinha como destino Rangum, a capital económica do país.

As comunicações com o avião perderam-se quando o aparelho sobrevoava a região de Dawei (sudeste de Birmânia), perto do mar de Andamão. "O contacto [com o aparelho] perdeu-se de maneira súbita por volta das 13:35 locais (08:05 hora de Lisboa)", divulgou na altura o chefe do exército birmanês, o general Min Aung Hlaing, na sua conta pessoal na rede social Facebook.

As operações de busca e de resgate estão a decorrer com o apoio de aviões e navios militares.

Em atualização

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.