Pirata que matou Sir Peter Blake capturado após 15 anos em fuga

Famoso velejador neozelandês e embaixador da boa vontade da ONU foi alvejado mortalmente quando visitou o Brasil, em 2001

Um homem condenado pelo assassínio de Sir Peter Blake, um conhecido velejador neozelandês, foi detido no Brasil, ao fim de mais de 15 anos em fuga, anunciou a polícia na quinta-feira.

O porta-voz da Polícia Civil, Walrimar Santos, afirmou à agência Associated Press que José Irandir Cardoso foi detido durante uma patrulha de rotina na ilha fluvial de Marajó, no Estado do Pará, no nordeste brasileiro.

Quando Cardoso foi detido, na quarta-feira, tinha consigo a identificação do seu irmão. A polícia descobriu a sua verdadeira identidade depois de correr as impressões digitais na sua base de dados.

Santos disse que Cardoso iria ser devolvido à prisão de onde escapou, no Estado nortenho de Amapa.

Blake, um famoso velejador neozelandês, foi alvejado mortalmente por piratas quando visitou o Brasil, em 2001. Tinha 53 anos e estava em missão de monitorização da poluição no rio Amazonas, enquanto embaixador de boa vontade da Organização das Nações Unidas, quando o seu barco foi atacado.

Cardoso foi condenado por assalto à mão armada e pelo seu papel no homicídio. Mas fugiu da prisão, pouco depois de ter sido sentenciado a mais de 32 anos de cadeia.

Blake participou na primeira Volvo Ocean Race (então a Whitbread Round the World Race), em 1973 e 1974, ganhando em 1989-90. Em 1995 venceu a America's Cup e cinco anos depois revalidou o título, à frente da equipa neozelandesa.

Exclusivos