As loucuras dos jornalistas que acompanham o Irma

Estão na rua quando praticamente todos estão abrigados dos ventos e chuvas fortes

Com roupas e calçado impermeáveis, de capuz na cabeça e até óculos de proteção, os jornalistas que fazem a cobertura das tempestades sujeitam-se a situações de perigo. No caso do Irma, o furacão mais poderoso registado no Atlântico, as televisões norte-americanas têm exibido os relatos destes repórteres que estão na rua quando toda a gente é aconselhada a abrigar-se.

Simon Brewer, meteorologista que trabalha para o Weather Channel e que se define como jornalista de condições meteorológicas extremas, protagonizou uma situação que demonstra a força da tempestade, ainda antes de esta chegar em pleno. Saiu do carro para medir a intensidade do vento e o resultado foi este que se vê no vídeo:

Também do Weather Channel, Mike Seidel partilhou imagens dele próprio a "levar pancada" dos primeiros vestígios da tempestade, ainda durante a noite.

Derek Van Dam é outro especialista no assunto, este ao serviço da CNN. Em direto, antes da chegada do Irma, mostrou as condições que existiam em Miami e, a determinado momento afirmou: Estamos definitivamente em estado de furacão. Está na hora de nos abrigarmos".

Ted Scouten, da CBS4 News Miami/Fort Lauderdale, admitiu num direto que não quer ser o tipo que morre a fazer a cobertura da tempestade. E explica que está a cerca de um metro de distância da entrada de um edifício forte, protegido por uma cobertura e com um carro nas costas que, antes de voar pela força do vento, o protege de objetos menores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG