Apesar de ter menos seguidores, Vox vence "eleições" nas redes sociais

Segundo um estudo encomendando pelo jornal 'El País', partido de Santiago Abascal tem o vídeo no Facebook com mais interações, sendo que só o Podemos parece fazer-lhe sombra na Internet.

Os espanhóis vão este domingo às urnas para eleger o próximo Congresso dos Deputados e tentar desbloquear o impasse que impediu a eleição de um novo primeiro-ministro, depois das eleições de abril. A campanha, a mais curta de sempre, de apenas uma semana, faz-se nas ruas, mas também nas redes sociais. E na Internet há um claro vencedor: o Vox.

Na altura de se informarem dos assuntos políticos e da campanha eleitoral, 61,3% dos eleitores espanhóis dizem escolher a televisão como sua primeira fonte de informação. Logo depois vêm as redes sociais, opção de 12,8% dos inquiridos num estudo do Centro de Investigações Sociológicas (CIS), à frente da imprensa (7,7%) e da rádio (7%). Tendo em conta todas as fontes de informação, 77% dos inquiridos recorre à televisão e 33,2% às redes sociais.

"Na era da Internet, não se chama a atenção com publicidade épica, propostas de novas medidas ou cartazes bonitos, mas com memes. Um meme é um conteúdo de digestão rápida, que se torna viral nas redes. Em Espanha, os memes têm um dominado: o Vox", escreve o El País.

"O resto dos partidos ficou na era da pré-Internet: nos posts de maior êxito de cada partido no Facebook em todo o 2019, a soma das reações (likes, loves ou não gosto) do Ciudadanos, PP e PSOE representa a metade dos do Vox", acrescenta o jornal espanhol, que publica os resultados do estudo que encomendou ao investigador José González Cabañas e aos professores da Universidade Carlos III, Ángel Cuevas e Rubén Cuevas.

Apesar de o Podemos ser o partido com mais seguidores no Facebook (1,2 milhões), longe do segundo mais bem colocado Vox (quase 353 mil seguidores), é a formação de extrema-direita que tem o post com mais comentários e interações. Trata-se de um vídeo que mostra o confronto entre o líder do partido em Girona, Alberto Tarradas, e o rapper Valtonyc, que foi condenado em Espanha por enaltecimento ao terrorismo e fugiu para a Bélgica.

O Podemos tem contudo o vídeo mais partilhado: um discurso do deputado Pablo Bstinduy sobre a Venezuela no Congresso em fevereiro.

Rede mais politizada é o Twitter

Contudo, segundo um estudo realizado pela agência especializada em marketing digital Elogia, a rede social mais politizada é o Twitter: 60% consideram que é a principal rede social para os partidos políticos (frente a 27% que diz que é o Facebook), sendo que 80% acreditam que as redes sociais são uma ferramenta para captar votos.

Num estudo feito após as eleições de 28 de abril, 72% dos jovens espanhóis entre os 18 e os 29 anos dizem seguir a atualidade política através desde canal, apesar de só 35% dos inquiridos dizer seguir o seu partido ou líder político favorito nesta rede.

Questionados diretamente sobre se as redes sociais influenciaram o seu voto, um quarto dos inquiridos diz que sim, sendo que 6% disseram que teve um alto impacto. 41% disseram que influenciou parcialmente.

No Twitter, é mais uma vez o Podemos que tem mais seguidores (1,4 milhões), enquanto o Vox (326 mil) fica atrás do PP (730 mil), do PSOE (714 mil) e do Ciudadanos (520 mil). A nível de líderes, é Pablo Iglesias também o vencedor (2,4 milhões de seguidores), seguido de Albert Rivera, do Ciudadanos, com 1,2 milhões, vindo logo depois o socialista Pedro Sánchez (,1 milhões). A grande distância está Santiago Abascal (Vox), com 302 mil, ainda assim mais do que Pablo Casado (PP), que tem 284 mil.

O Vox vence em subscritores no YouTube (tem 210 mil) e quase 417 mil seguidores no Instagram (Santiago Abascal tem 430 mil). Em ambas as redes é seguido por mais pessoas do que os quatro outros partidos juntos.

"A mim acontece com os touros o mesmo a que Sánchez acontece com a política, que só se atreve com os mortos", diz a última foto partilhada por Abascal no Instagram.

Anúncios do Facebook

Quem mais dinheiro gastou em anúncios do Facebook nos últimos 7 dias foi a campanha da Unidas Podemos (a aliança eleitoral entre o Podemos e a Esquerda Unida).

Segundo os dados da própria rede social, gastou 91 624 euros só em nome da Página Podemos, tendo ainda no top 10 dos mais gastadores anúncios para Un país moderno, Pablo Iglesias e Irene Montero.

O PSOE, o segundo na lista, gastou um terço do valor do Podemos: 28 876 euros, com o Ciudadanos em terceiro com um gasto de 25 080 euros. O PP surge em sexto na lista, com 10 029, que nem sequer inclui o Vox nos primeiros.

Exclusivos